• Gabriel Neves

Como Sirinhaém votou nas eleições de 2018?

Alguns dados indicam a potência do poder político de determinados grupos no município




Sete meses se passaram da eleição, mas é necessário dizer que: 1. este jornal não existia, quando findou o processo eleitoral; 2. somos o primeiro grupo da região a trazer esses dados contextualizados.


É bom lembrar que as eleições do ano passado contemplaram cinco diferentes cargos: presidente, governador, senador (duas cadeiras), deputado federal e deputado estadual. Nesta mesma ordem, disponibilizarei abaixo os dados eleitorais construídos pelos 27 mil eleitores sirinhaenses.



1. PRESIDENTE

À época candidato à presidência da República, Fernando Haddad foi o mais votado pelo município. No primeiro turno, obteve mais de 9 mil votos, representando 53% dos votos válidos; no segundo, mais de 13 mil, que corresponde a 68% dos votos válidos.


Jair Bolsonaro, atual presidente da República, foi o segundo mais votado do município. No primeiro turno, obteve mais de 5 mil votos, 30% dos votos válidos; no segundo turno, mais de 6 mil, que corresponde a 31% dos votos válidos.


Do primeiro para o segundo turno, Haddad ganhou 3.484 votos, enquanto Bolsonaro conseguiu somar 638 votos.


Você pode interagir com os gráficos abaixo. Para saber a votação exata de cada candidato, basta passar o mouse ou clicar em cada barra.





2. GOVERNADOR

A máquina do Partido Socialista Brasileiro (PSB) mostrou ser forte. Mesmo com uma relativa perda de apoio popular no decorrer dos primeiros quatro anos, Paulo Câmara venceu com folga a eleição e engatou seu segundo mandato. O aumento significativo das passagens de ônibus, os recordes nos números de homicídios e os assaltos aos bancos (que atingiram fortemente Sirinhaém, deixando o Banco do Brasil praticamente inoperante) não atrapalharam a reeleição.


Em Sirinhaém, onde o PSB tem amplo domínio, Câmara obteve um percentual de votos válidos maior que o do estado. 69% dos votos válidos em Sirinhaém foram para o atual governador. Em todo estado de Pernambuco, 50,70% foi o percentual que o levou à vitória já no primeiro turno.


3. SENADOR

A união entre Humberto Costa (PT) e Jarbas Vasconcelos (MDB) gerou controvérsias. O petista e o mdbista já foram adversários no passado, mas nas eleições de 2018 se juntaram em torno do PSB e da reeleição de Paulo Câmara.


Inclusive, a união entre PT e PSB, tão defendida por Humberto Costa, rifou a candidatura de Marília Arraes (PT) ao governo do estado. Arraes, que é deputada federal, além de ser a preferida da militância petista, estava crescendo nas pesquisas.


Em reunião do PT, Humberto Costa chegou a ser chamado de golpista pelos militantes, por defender a união entre os partidos. O PSB, nas eleições de 2014, apoiou a candidatura de Aécio Neves, que disputava a presidência da República contra a petista Dilma Rousseff (Aécio chegou a fazer um comício em Sirinhaém, com o apoio de Franz Hacker). Em 2016, o mesmo partido apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma.


Humberto Costa e Jarbas Vasconcelos venceram com folga a corrida eleitoral para preencher duas das três cadeiras reservadas a Pernambuco no senado. Em Sirinhaém, os senadores receberam um percentual de votos superior ao do estado. Humberto Costa, apenas em Sirinhaém, teve 30% dos votos válidos; em Pernambuco, obteve 25%. Jarbas Vasconcelos, somente em Sirinhaém, recebeu 30% dos votos válidos; já em Pernambuco, 21%.


4. DEPUTADO FEDERAL

Os votos para deputado federal evidenciam alianças de grupos políticos de Sirinhaém e região e grupos políticos de fora do município.


Para um prefeito, apoiar um deputado federal tem uma importância significativa, porque os deputados, durante a análise da proposta orçamentária, podem apresentar emendas que destinam verbas para municípios.


No caso de Sirinhaém, o prefeito Franz Hacker apoiou o deputado federal Danilo Cabral (PSB), que ficou disparado na frente dos outros candidatos, com mais de 6 mil votos no município. O Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais de Sirinhaém também apoiou o deputado. Manuel Coco, à época presidente do Sindicato, justificou o apoio alegando que Cabral ajudou a população de Sirinhaém no período das enchentes.


Andre Ferreira foi o segundo mais votado do município, com 2113 votos. O deputado, que é do Partido Social Cristão (PSC), recebeu apoio de Fernando Urquiza, ex-prefeito de Sirinhaém e já declarado pré-candidato à prefeitura em 2020. Andre Ferreira é irmão de Anderson Ferreira (PL), prefeito de Jaboatão dos Guararapes. A família é conhecida no meio evangélico.


Em falar no meio evangélico, da lista dos dez mais votados para deputado federal em Sirinhaém, cinco têm base eleitoral evangélica. Além de Andre Ferreira, pastor Eurico (PATRI), da Assembleia de Deus, Andre Maranata (PPS), diretor de rádio protestante, pastor Erivan Maia (PATRI), da igreja Ágape, e Ossesio Silva (PRB), da igreja Universal, também têm os fiéis em suas respectivas bases eleitorais.


Segundo o IBGE, os evangélicos são maioria em Sirinhaém.


5. DEPUTADO ESTADUAL

Simone Santana (PSB) foi a mais votada no município, com 4450 votos para ocupar o cargo de deputada estadual. A deputada fez dobradinha com Danilo Cabral e foi apoiada pelo prefeito Franz Hacker.


Entre os dez mais votados do município, estão dois da casa: Irmão Dedêu (PRTB), com 1903 votos, e Éi (AVANTE), com 343 votos. Ambos, ao contrário de Simone Santana, não conseguiram se eleger.


Manoel Ferreira (PSC), que aparece como o terceiro mais votado de Sirinhaém, é pai de Andre Ferreira, o segundo mais votado do município para deputado federal. O patriarca da família também foi apoiado por Fernando Urquiza e também conseguiu se eleger. A família Ferreira, hoje, tem vereador em Recife, deputados estadual e federal em Pernambuco e prefeito em Jaboatão.

Dados evidenciados e minimamente contextualizados. Resta agora uma análise sobre esses mesmos dados, que pode ser assunto para um futuro artigo neste jornal.

©2018 by O Pasquim. Todos os direitos reservados.