• Gabriel Neves

De amigo e apoiador da família Hacker, conglomerado EQM é recordista em trabalho escravo

O grupo EQM, que leva o nome do empresário Eduardo Queiroz Monteiro, também controla a Usina Cucaú, de Rio Formoso. O empresário já foi condenado a nove anos de prisão por gestão fraudulenta no Banco Mercantil

Eduardo Queiroz Monteiro, empresário. Créditos: Alfeu Tavares

Amigo de anos da família Hacker, Eduardo Queiroz Monteiro é presidente de um conglomerado considerado recordista em trabalho escravo no país. O grupo EQM, o qual ele preside, já foi rotulado pela revista Rolling Stone de "maior escravagista do Brasil". Dentre suas propriedades, possui, além de usinas de açúcar, do jornal Folha de Pernambuco e do Banco Mercantil, destilarias em Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. Localizada em Confresa (MT), a mais famosa delas é a Destilaria Araguaia, por ter um passado "nebuloso", nas palavras do jornalista Bruno Bassi, do De Olho nos Ruralistas.


Entre 2001 e 2009, a Destilaria Araguaia, antes conhecida como Gameleira, foi palco de uma série de flagrantes de trabalhadores que estavam em situação degradante. Em 2005, ano em que houve a segunda maior libertação de trabalhadores da história, foram encontradas 1003 pessoas trabalhando em condições desumanas na Destilaria. No total, durante esses anos, 1406 trabalhadores foram resgatados em situação análoga à escravidão no local.


Os funcionários trabalhavam das 7 às 17 horas. Descalços. Quando o facão escapava, cortavam-se. As acomodações não tinham ventilação. A comida estragava com o calor. Diante das imagens dos trabalhadores sobre a cana cortada, sem proteção, o juiz descreveu uma situação “próxima a um estado animalesco” - Bruno Bassi, jornalista do De Olho nos Ruralistas

Em reportagem do Repórter Brasil, Humberto Célio Pereira, auditor fiscal do trabalho, chegou a dizer o seguinte sobre a libertação de 2005: "a situação aqui é horrível. Há superlotação dos alojamentos, que exalam um mau cheiro insuportável. A única água que recebe tratamento é aquela que vai para as caldeiras e não para os trabalhadores. A alimentação estava estragada, deteriorada. O caminhão chega jogando a comida no chão. Pior do que a comida que se dá para bicho, porque esse pelo menos tem coxo". O auditor ainda chegou a afirmar que as características encontradas confirmavam a existência de escravidão contemporânea.


Segundo Bassi, o Ministério Público Federal pediu a condenação dos responsáveis por trabalho escravo. Entre eles, estava Eduardo Queiroz Monteiro.



O usineiro apoia Isabel Hacker em Rio Formoso


Eduardo Queiroz Monteiro apoia Isabel Hacker (PSB) para Prefeitura de Rio Formoso. Crédito: Redes sociais

A prefeita Isabel Hacker (PSB), de Rio Formoso, tem o apoio do usineiro na sua campanha de reeleição. No dia 7, em suas redes sociais, a prefeita declarou que "essa amizade só faz bem à (sic) Rio Formoso", referindo-se à amizade entre a família Hacker e a família Queiroz Monteiro. Ela ainda agradeceu a Eduardo Queiroz Monteiro pela "lealdade e parceria por todos esses anos".


Esse nível de proximidade entre a chefe do poder executivo de Rio Formoso e o usineiro pode comprometer fortemente o papel da Prefeitura na proteção e no apoio aos trabalhadores da cidade. A ausência de posicionamento de Isabel na ocasião das greves dos trabalhadores rurais no final de 2018 pode ser uma expressão desse comprometimento.


Devido à situação econômica da Usina Cucaú, que vem com dificuldades desde 2009 ao menos, a disputa de interesses entre os representantes da empresa e os trabalhadores pode se intensificar nos próximos anos. Num provável contexto como esse, de contradições acirradas, o papel da Prefeitura torna-se relevante para dar suporte a trabalhadores e trabalhadoras.


Mas, como já aconteceu uma vez, Isabel não tomaria partido. A prefeita de Rio Formoso já demonstrou, em outra ocasião, que não valoriza os direitos dos trabalhadores. Logo no início do seu mandato, ela assinou a Lei 1632/2017, que retirou dos salários dos servidores públicos municipais os adicionais por insalubridade, condições penosas e perigosas e o adicional por tempo de serviço. Além disso, a Lei extinguiu o texto do plano de cargos e carreiras e revogou o artigo 70, da Lei 1088/90, que proibia funcionárias gestantes ou lactantes de trabalharem em atividades consideradas penosas, insalubres ou perigosas.


Apesar de o usineiro apoiar Isabel para a Prefeitura de Rio Formoso, seu irmão e ex-senador Armando Monteiro (PTB) apoia o médico cirurgião Edivaldo Cassimiro (PTB).



©2018 by O Pasquim. Todos os direitos reservados.