• opasquim.org

Em Sirinhaém, professora convida prefeituráveis para debater educação

Das cinco candidaturas, apenas duas aceitaram o convite

Magalise Aragão / arquivo pessoal

A professora Magalise Aragão de Sena, formada em pedagogia e especialista em educação especial, propôs para candidatos e candidatas à Prefeitura de Sirinhaém um debate sobre a educação da cidade. A ideia seria conversar com prefeituráveis toda semana para entender as propostas, falar sobre os problemas e indicar caminhos que podem ser seguidos na área. Os debates foram idealizados para ocorrer em lives na rede social digital Instagram.


De cinco candidaturas, apenas as de Camila Machado (PP) e Nido da Loja (PSL) aceitaram o convite. Gilma Urquiza (PL) comunicou que não poderia participar porque supostamente o tempo não permitiria, e os candidatos Coelhinho (PSB) e Moiséis Soares Éi (AVANTE) não responderam.


O primeiro debate ocorreu no dia 23, e a convidada foi a candidata Camila Machado. Na ocasião, além de outros pontos, foram discutidos caminhos para melhorar a educação na cidade e superar a deficiência que existe principalmente nos anos finais do ensino fundamental. A professora avaliou positivamente a conversa, afirmando que a "candidata tem propostas inovadoras que podem alavancar a educação do município. Propostas que valorizam os profissionais da educação e oportunizam os estudantes a uma educação de qualidade".



Em Sirinhaém, Magalise foi coordenadora da Escola Universo do Saber, professora no Programa Chapéu de Palha, do governo do estado, e, na última eleição, foi candidata a vereadora. Hoje, a professora trabalha na área de educação nos municípios de Escada e Recife, além de administrar o perfil @saberdalisa, no Instagram.



Nos anos finais do fundamental, Sirinhaém não atinge metas do Ideb há mais de 10 anos


Uma das competências dos municípios, segundo a Constituição Federal, é manter programas de educação infantil e ensino fundamental. A educação é uma das principais áreas de atuação do Município como ente federativo.


Embora a Prefeitura Municipal de Sirinhaém tenha aumentado timidamente os investimentos em educação nos últimos anos, a cidade não atinge as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para os anos finais do ensino fundamental há mais de dez anos. A última vez que Sirinhaém atingiu a meta do Ideb foi em 2009, na gestão de Fernando Urquiza (PTB).



Os números mostram que a cidade está, ao menos, dois anos atrasada quando o assunto é anos finais do ensino fundamental. Em 2019, Sirinhaém atingiu uma nota de 3,9. Número que devia ter sido alcançado em 2017.


Segundo o portal Meu Município, que utiliza dados do Censo Escolar, Sirinhaém fechou quatro escolas em oito anos, mesmo tendo aumentado o número de matrículas.


Em 2018, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou a Pesquisa de Informações Básicas Municipais. No estudo, é possível perceber que a educação em Sirinhaém deixa de priorizar questões importantes.


A Secretaria de Educação da cidade não adotou, até 2018, medidas ou ações voltadas para melhorias das condições físicas de acessibilidade nas escolas; para a inclusão de alunos com deficiência; combate à violência; constituição e manutenção de conselhos escolares; integração escola-comunidade; organização de grêmios estudantis; diminuição da evasão escolar; e combate ao bullying. Outras questões como combate à homofobia, discriminação racial e discriminação religiosa também foram negligenciadas.

©2018 by O Pasquim. Todos os direitos reservados.